SURREXIT DOMINUS VERE

23/10/2011 22:40

 

_SURREXIT DOMINUS!!! Aleluia!!! Surrexit Dominus !!!

 

_Verum???

 

_SURREXIT DOMINUS, vere !!!! O Senhor ressuscitou, verdadeiramente!!

 

_Virgo Maria! Mas eu só passei um ou outro dia sem escrever no Blog !!!!

 

Um ou outro dia sem escrever e o tema deste vídeo não poderia ser mais propício “SURREXIT DOMINUS VERE_" O Senhor Ressuscitou Verdadeiramente"!!!

 

Moteto da Procissão da Ressurreição, SURREXIT DOMINUS VERE integra a vasta obra musical do compositor mineiro do século XVIII, Manuel Dias de Oliveira

 

Nascido por volta de 1735 em São José Del Rey, atual Tiradente/MG, o compositor faleceu em 1813, nesta mesma cidade. Desde criança, sua vocação para a música fazia-se notar. O padre Francisco da Piedade, ao perceber que o jovem mulato Manuel Dias cantarolava diferentes vozes do repertório tradicional para coro executado na igreja de Santo Antônio, convidou-o não só a integrar o coral como lhe ofereceu a oportunidade de estudar teoria musical e órgão.

 

Segundo relatos do Prof. Rubens Ricciardi, Manuel Dias de Oliveira “foi o principal músico na Comarca do Rio das Mortes em seu tempo e conviveu, certamente, com diversos personagens da Conjuração Mineira, como os Rezende Costa, os padres Toledo e Vieira, o coronel Alvarenga Peixoto e o sargento-mor Luiz Vaz”. Outra particularidade em relação ao compositor, que nos revela o professor Ricciardi, é o fato de Manuel Dias de Oliveira ter sido o “primeiro compositor brasileiro a receber elogios de um jornal”, isto ocorreu em 1816, quando, por ocasião dos funerais de Dª Maria I, saiu publicado, na Gazeta do Rio de Janeiro, comentário sobre seu “raro engenho”, e sobre sua “harmoniosa música a 4 coros”.

 

 Mas a trajetória de Manuel Dias de Oliveira não se encerra por aqui. Casado com a mulata Ana Hilária e tendo um dos filhos músico, o compositor recebeu da Rainha Dª. Maria I o título de CAPITÃO DA CAVALARIA A PÉ: a mais alta condecoração conferida, naquela época, a alguém de pele escura.

 

Cabe lembrar, ainda, que além de regente e organista na Matriz de Santo Antônio, em São José Del Rey, Manuel Dias de Oliveira foi alferes _ nesta mesma vila_ e, depois, capitão da Ordenança de Pé dos Homens Pardos Libertos, no Arraial da Lage (atual Resende Costa). Nas irmandades de Nossa Senhora das Mercês dos Pretos de São José e de Nossa Senhora da Boa Morte de Barbacena, atuou como copista e foi membro da Fraternidade Ordem Terceira de São Francisco.

 

Entre a produção deste notável expoente da música produzida no Brasil no século XVIII, destaca-se uma série de motetos e peças como Miserere, Sábado Santo de Manhã, Magnificat e Te Deum.

 

_Enfim, concluído o relato!!!

 

_Concluído o relato?? SURREXIT DOMINUS VERE!!

 

_(Não creio que seja o caso...)

 

Abraços,

 

ANTIQUE

 

 

Contribuição: Maramax

© 2011 Todos os direitos reservados.

Crie um site gratuitoWebnode